Do amor n°1

Eram trepadeiras retas subindo no teu nome
Desvãos e despedidas
Eram felicidades aquelas tardes de solidão em que estavas presente
A ausência cega
O beijo mudo
Os carros e pássaros misturados estalando nas ruas
A terra invadindo o assoalho limpo
As lágrimas queimando a pele
Os dentes esfolando a boca

Eram nós aqueles sentimentos
Eram passos aquelas folhas quebrando
E eram marrons
os nós sujos
as solas dos sapatos
o embaixo dos olhos

Era o amor não dormido

 

Poema e foto: Josiane Orvatich