Vazios

Essas fotos foram tiradas numa época em que eu procurava por lugares vazios ou abandonados, desejando simbolizar a solidão em contraste com a aglomeração da vida na cidade. Muitos deles eram inacessíveis, terrenos baldios trancados e eu não podia entrar. Então, me aproximava espreitando, um olhar distanciado que apenas conseguia vislumbrar o que estava para além dali, daquele limiar.

Essas portas fechadas foram me interessando porque cada uma delas me remetia a um buraco, uma fenda. Cada grade tem um furo, nada se fecha plenamente. Nem se abre. E nesse movimento de impedir e possibilitar, proibir e convidar, fui sendo confrontada por imagens que me lançaram na atmosfera do tempo que perdura e se desgasta.

Josiane Orvatich